Motricidade Orofacial é a área da Fonoaudiologia voltada à adequação da musculatura orofacial e das funções de fala, respiração, sucção, mastigação e deglutição.

Nesta área o fonoaudiólogo atua com crianças, adolescentes e adultos em:

  • Hábitos Orais Deletérios, como uso de chupetas ou hábito de roer unhas;
  • Respiração Oral;
  • Alterações na Mastigação e Deglutição;
  • Distorções na fala;
  • Ronco;
  • Disfunção Tubária;
  • Estética facial.

O trabalho costuma ser realizado em parceria com outros profissionais da área da saúde, como: pediatra, odontopediatra, ortodontista, otorrinolaringologista, dermatologista e cirurgião plástico.

Hábitos Orais Deletérios
Respiração Oral
Alterações na Mastigação e Deglutição
Distorções na Fala
Ronco
Disfunção Tubária
Estética Facial

• O que são?

São hábitos que, dependendo do tipo facial da pessoa, bem de sua frequência, intensidade e duração, podem ser prejudiciais.

• Exemplos:

Sucção de dedo;
Sucção de chupeta;
Onicofagia (roer unhas);
Apertamento dentário .

• Quais as consequências?

Alteração das arcadas dentárias;
Distorções na fala;
Disfunção das articulações temporomandibulares (ATM).

• Objetivos da atuação fonoaudiológica:

Auxiliar na retirada gradual do hábito.

• Procedimentos utilizados na fonoterapia:

Conscientização da presença do hábito e suas consequências;
Utilização de estratégias terapêuticas para modificação do hábito;
Orientações familiares.

Trabalho realizado em parceria com o pediatra e/ou dentista.

• O que é?
Respiração realizada predominantemente pela boca, tanto de dia como durante a noite.

• Quais as consequências?
Flacidez da musculatura orofacial;
Distorções na fala;
Alterações no crescimento da face e nas arcadas dentárias;
Mastigação ineficiente;
Deglutição com padrão invertido;
Inapetência;
Ronco e baba noturna;
Cansaço durante o dia;
Falta de concentração;
Dificuldades no aprendizado.

• Objetivos da atuação fonoaudiológica, após eliminação da obstrução respiratória:
Adequar a postura de lábios e língua;
Fortalecer a musculatura orofacial;
Adequar a mastigação, a deglutição e a fala;
Restabelecer a respiração nasal diurna e noturna.

• Procedimentos utilizados na fonoterapia:
Conscientização e treino do padrão correto;
Realização de exercícios musculares para fortalecimento de lábios, língua e bochechas;
Adequação das funções de mastigação e deglutição com diferentes alimentos;
Treino da fala visando eliminar ou minimizar as distorções.

Trabalho realizado em parceria com o médico otorrinolaringologista.

• O que são?
Mastigação ineficiente, lenta ou rápida demais e com sobras de alimentos na boca;
Mastigação predominantemente unilateral;
Deglutição invertida, com projeção de língua e participação da musculatura perioral.

• Quais as principais causas:
Presença de hábitos orais deletérios;
Respiração oral;
Flacidez da musculatura orofacial;
Alteração das arcadas dentárias.

• Objetivos da atuação fonoaudiológica, após adequação do fator causal:
Adequar a força e a mobilidade da musculatura orofacial;
Adequar os padrões das funções de mastigação e deglutição.

• Procedimentos utilizados na fonoterapia:
Conscientização dos padrões musculares e funcionais observados no início do tratamento;
Exercícios para fortalecimento d a musculatura orofacial;
Treino com alimentos de diversas consistências.
Trabalho realizado em parceria com o ortodontista.

• O que são?
São desvios na produção dos sons da fala que podem comprometer a inteligibilidade da fala e, algumas vezes, causar constrangimentos à pessoa.

• Quais as principais causas:
Presença de hábitos orais deletérios;
Respiração oral;
Flacidez da musculatura orofacial;
Alteração da inserção do frênulo lingual;
Alteração das arcadas dentárias.

• Exemplos:
Produzir o som do /s/ e /z/ com projeção de língua (ceceio);
Produzir o som do /l/ e do /r/ sem elevação da ponta de língua;
Imprecisão articulatória, fala “embolada”.

• Objetivos da atuação fonoaudiológica, após adequação do fator causal:
Adequar a produção dos sons da fala;
Tornar a fala mais clara.

• Procedimentos utilizados na fonoterapia:
Conscientização da forma de produção do som;
Adequação da musculatura envolvida na fala, em especial da língua;
Treino da fala.

• Objetivos da atuação fonoaudiológica:
Adequar a musculatura de boca e faringe, em especial de língua e palato mole, relacionadas com a obstrução das vias aéreas superiores durante o sono.
Minimizar as consequências da apneia obstrutiva do sono;
Reduzir intensidade do tratamento CPAP, quando indicado.

• Procedimentos utilizados na fonoterapia:
Conscientização da postura, mobilidade e força das estruturas da boca e faringe;
Aumento da força de língua, palato mole, bochechas, lábios e paredes da faringe;
Adequação da mobilidade das estruturas da boca e faringe;
Treino da mastigação e deglutição.

Trabalho realizado em parceria com o médico otorrinolaringologista.

• O que é?
É o mau funcionamento da tuba auditiva responsável por fazer a aeração e drenagem de secreções da orelha média, bem como equilibrar sua pressão.

• Objetivos da atuação fonoaudiológica:
Melhorar o funcionamento da tuba auditiva;
Prevenir a otite média recorrente;
Evitar perdas auditivas do tipo condutiva.

• Procedimentos utilizados na fonoterapia:
Orientações sobre limpeza nasal;
Exercícios oromiofuncionais envolvendo a respiração nasal, o bocejo, a mastigação, a deglutição e o sopro.

Trabalho realizado em parceria com o médico otorrinolaringologista.

• Objetivos da atuação fonoaudiológica:
Leveza de expressão (suavização de marcas de expressão e rugas);
Rejuvenescimento (melhora na definição dos contornos do rosto e pescoço, fortalecimento muscular);
Pele mais viçosa (melhora da irrigação sanguínea e oxigenação).

• Procedimentos utilizados na fonoterapia:
Exercícios musculares para alongamento e fortalecimento da musculatura facial;
Massagens faciais;
Reorganização das funções orofaciais de respiração, mastigação, deglutição e fala;
Controle da mímica facial exagerada.

Trabalho realizado em parceria com o médico dermatologista e cirurgião plástico.