Gagueira Infantil

Frequentemente as crianças apresentam alguma forma de gagueira. Isso porque 5% das crianças apresentam disfluências temporárias, sendo que 80% delas irão superar estas disfluências espontaneamente e apenas 1% da população seguirá gaguejando cronicamente.

Entretanto, nem sempre é fácil diferenciar quando a criança conseguirá superar a gagueira ou não. Portanto, a intervenção precoce é sempre o melhor caminho!

A gagueira geralmente surge entre os 2 e 4 anos de idade (quando aumenta a complexidade do discurso e da linguagem), mas pode aparecer mais tarde, sendo mais raros casos em que os primeiros sintomas começam após os 9 anos de idade. Quanto mais cedo aparecerem os primeiros sintomas, maiores as chances de que seja uma gagueira transitória.

O que é gagueira?

Trata-se de uma dificuldade neuromotora, em que a pessoa sabe exatamente o que deseja falar, mas o cérebro tem dificuldade para liberar a movimentação motora do próximo som a ser falado.

Por isso a criança pode ficar repetindo uma palavra (é, é, é…), uma sílaba (por-por-porque), ou parte da sílaba (s-s-s-sapato), até que o movimento do próximo som seja liberado. Às vezes o som fica preso sem que a criança consiga emiti-lo (bloqueios), ou ainda o som fica alongado ou esticado (prolongamento – f…..ui).

A Gagueira se manifesta em todos os seus portadores de maneira involuntária, o que significa que é independe da vontade e do esforço da pessoa para não gaguejar.

É também intermitente, ou seja, varia de frequência e intensidade dependendo das características das situações de comunicação, das características e do tipo de linguagem empregada.

Ou seja, a Gagueira do Desenvolvimento é um distúrbio neurofuncional e não é constante.